Estado anuncia 16 novas escolas integrais, com 3.030 vagas para 2019

Estado anuncia 16 novas escolas integrais, com 3.030 vagas para 2019

A novidade é que das 3.030 vagas, 480 serão para o Ensino Fundamental. As demais vão para o Ensino Médio.

 

Por: Margarida Azevedo

 

Maria Isabel Araújo e Viviane Gonçalves têm 15 anos e estudam no 9º ano do ensino fundamental em escolas estaduais. Isabel, no Sertão de Pernambuco, no distrito de Fátima, município de Flores, a 380 quilômetros do Recife. Viviane em Olinda, na Região Metropolitana. A partir do próximo ano, as duas adolescentes terão a rotina alterada: farão o ensino médio em escolas integrais. Significa que passarão mais tempo estudando. Às vésperas da eleição, o governo estadual promete 3.030 novas vagas para quem, como Isabel e Viviane, optar pelo modelo integral em 2019.

 

A novidade é que desse total, 480 vagas serão para estudantes dos anos finais do ensino fundamental (6º ao 9º ano).
Para criar as vagas, a Secretaria Estadual de Educação vai transformar 15 colégios em turno integral e inaugurar uma escola técnica, na cidade de Bom Conselho, no Agreste. Na distribuição das novas vagas, 1.350 serão no Grande Recife (Recife, Jaboatão, Olinda, Paulista, Igarassu e Cabo) e 1.680 no interior, destinadas a uma cidade da Zona da Mata (Vicência), quatro do Agreste (Bezerros, Limoeiro, Bom Conselho e João Alfredo) e outras quatro do Sertão (Flores, Belém de São Francisco, Petrolândia e Araripina).

 

“Hoje 52% dos nossos alunos do ensino médio estudam em tempo integral, acima da meta do Plano Nacional de Educação. Somos o primeiro Estado do Brasil a atingir esse patamar. Com a ampliação que anunciamos hoje (ontem), chegaremos a 57% em 402 escolas integrais”, destacou o secretário de Educação de Pernambuco, Fred Amancio, durante apresentação do projeto de expansão, na sede da Secretaria de Educação, no bairro da Várzea, Zona Oeste do Recife.

 

O PNE recomenda que até 2024 pelo menos 50% das matrículas na educação básica sejam de alunos que estejam no ensino integral. Atualmente, no Estado, existem 388 escolas estaduais integrais (dessas, 43 são técnicas), onde estudam 148.132 estudantes. No ensino médio regular há 147.435 alunos em 672 colégios.

 

“Pernambuco tem a maior rede de escolas integrais do País e a que mais tem avançado neste sentido. Em São Paulo, por exemplo, são 6%. No Ceará fica entre 12% e 15%”, enfatizou Fred Amancio. “O nosso programa não é só aumentar o tempo que o estudante fica na escola. É mais amplo, com formação interdimensional e focado na construção do projeto de vida do estudante e no seu protagonismo”, complementou o secretário.

 

Das 16 escolas integrais, nove seguirão o atual formato da maioria das unidades integrais: os alunos chegarão às 7h30 e largarão às 17h, totalizando carga horária semanal de 45 horas. “Estamos muito felizes, pois virar integral era o desejo da maioria da nossa comunidade escolar”, afirmou a diretora da Escola Estevão Pinto, Polyana Marques. O colégio fica no bairro de Aguazinha, em Olinda. É lá que Viviane estuda. A unidade terá 135 vagas para o 1º ano do ensino médio.

“De vez quando tem tiroteio onde eu moro. Ficar na escola o dia todo vai ajudar a gente a não se envolver com violência”, disse Viviane.

 

NOVO MODELO
Outras três unidades terão dois turnos integrais, mas com horário menor, 35 horas semanais. O adolescente vai estudar das 7h às 14h ou das 14h30 às 20h40. Atualmente já há seis escolas nessa modalidade. Segundo Fred Amancio, o objetivo é atender o jovem que deseja o ensino integral, mas necessita trabalhar para ajudar a família, fazendo estágios ou participando do Programa Jovem Aprendiz.

 

A expansão se completa com quatro escolas que terão também 35 horas semanais tanto para turmas do ensino fundamental quanto para classes do ensino médio. “O aluno terá uma trajetória de sete anos no ensino integral, do 6º ano do fundamental ao 3º ano do ensino médio, na mesma escola”, observou Fred. Apenas a Escola Estadual Creusa Barreto Dornelas Câmara, na Torre, Zona Oeste do Recife, oferece o modelo integral nos anos finais do fundamental.

 

“Sonhávamos com o ensino integral. Mas nossa escola é a única do distrito que oferece anos finais do fundamental e ensino médio. Só foi possível virar integral a partir desse novo modelo, que atende as duas etapas da educação básica. Amanhã (hoje) haverá uma festa para comemorar a novidade”, contou a diretora da Escola Dário Gomes de Lima, Ana Lúcia Xavier.

 

A unidade, na cidade de Flores, é onde Isabel está cursando o 9º ano. “Estudo à tarde. Duas vezes na semana vou também de manhã para aulões de português e matemática. Acho legal passar mais tempo na escola, a gente interage mais com os professores e os colegas”, comentou a adolescente.

 

MATRÍCULA
Parte das 3.030 vagas já será preenchida por alunos da própria rede estadual ou de escolas municipais que migrarão automaticamente para os 16 novos colégios integrais. Somente depois que a matrícula for concluída internamente entre os estudantes que já são da rede pública é que haverá liberação das vagas para novatos. A previsão é de que isso aconteça em novembro, quando a Secretaria Estadual de Educação abrirá o processo de matrícula para 2019.

Fonte: Jornal do Commercio